Por trabalhar na Justiça Eleitoral, evito citar nomes de políticos e/ou partidos políticos brasileiros (embora eu pudesse fazê-lo sem problema algum, pois sou um cidadão como outro qualquer: o Código de Ética do TRE/RJ não tem vedação nesse sentido, porque o fato de ser servidor público não retira minha liberdade de expressão).

terça-feira, 30 de abril de 2013

Caxirolândia 2014 - "imagina o mico" 2: a pérola das ciências de baixa tecnologia

Pelo jeito o pessoal da redação da revista Veja leu a postagem que fiz ontem sobre a "Caxirolândia" antes de escrever a reportagem "Caxirola vira mico" ... kkkkkkkkkk

Veja aqui que Brown já está ensaiando com essa coisa há algum tempo. Só falta combinar com as outras milhares de pessoas que estarão nos estádios e torcer para que os argentinos não levem caxiroladas na cabeça durante a Copa... kkkkkkkk

A propósito, um vídeo educativo sobre o tema e depois eu volto:



Se a chuva de caxirolas tivesse acontecido em outro lugar que não a Bahia, Carlinhos Brown já teria dito que em Salvador não seria assim, que na Bahia o povo tem mais identificação com a música, que o sentido telúrico da vida do baiano se ligaria no som de "onda do mar" do instrumento...

Aliás, por falar em justificativas viajantes para a caxirola, vejam o que a Presidente da República disse em defesa do caxixi metido a besta que Brown patenteou (agora eu entendi!)... uma pérola das ciências de baixa tecnologia:

"A caxirola também tem um sentido transcendental de cura, enfim, de paz com o mundo, de estar de fato em sintonia com a natureza e com todos os orixás."

Agora, com essa explicação científica, todo mundo entendeu!!! Kkkkkkkkk

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Caxirolândia 2014: "imagina o mico"

Um país que coloca em importante plano a invenção de um instrumento banal para ser a "segunda vuvuzela" (aquele instrumento irritante que marcou todos os jogos da Copa de 2010, na África do Sul e que foi proibido nos estádios da Europa) não pode ser um país sério, como disse - com razão - Charles de Gaule. 

Com Carlinhos Brown à frente do projeto (aqui ele usa caxirolas para tocar o Hino Nacional para a Presidente da República) foi fácil dizer que se trata de algo genuinamente novo, brasileiro, popular, cultural. Veja o ufanismo e a megalomania no texto politicamente correto usado pela empresa Braskem, que fabrica o plástico usado no instrumento, justificando a "criação" (serão fabricadas mais de 100 milhões dessas: só a Braskem vai se dar bem!)

"A caxirola (...) foi idealizada para se tornar o objeto da expressão das torcidas em 2014, não só em 2014, mas sim um legado sociocultural e musical para o Brasil. É um instrumento 100% brasileiro, criado por Carlinhos Brown em parceria com a The Marketing Store, empresa especializada em produção em larga escala. A Caxirola é produzida com plástico verde de cana de açúcar brasileira e leva o selo "I'm greenTM", que certifica sua origem renovável."

Já fui percussionista (embora quase ninguém acredite!) e pessoalmente gostei do som da caxirola, que nada mais é do que o nosso velho, bom e conhecido caxixi, só que melhorado: não ouve invenção alguma, penso. Mas a caxirola não foi projetada para ser usada em shows por percussionistas ou em rodas de capoeira, mas por milhares de pessoas dentro de um estádio de Copa do Mundo, sem que elas saibam usar o instrumento... vai criar um barulho insuportável! 

Provo o que digo: ouça o som das caxirolas quando tocadas por Carlinhos Brown  e o barulho que elas fizeram ontem no Bahia X Vitória, na Fonte Nova, com o estádio ainda vazio, no primeiro jogo em que foram distribuídas aos torcedores...




Caro leitor: agora imagine seus filhos e netos correndo pela casa com esses chocalhos nas mãos... kkkkk

Em breve começarão a dizer que as críticas são "preconceito" contra o Brasil. Observe que  sou brasileiro e não tenho preconceito contra meu país: tenho opinião, exatamente como podem ter os estrangeiros. Se eles não concordarem conosco é direito deles, não algum tipo de discriminação. 

Tal como ocorreu com o inusitado tatu-bola Fuleco, a primeira impressão não foi boa. Repare nos vídeos acima que a quantidade de "não gostei" é muito superior à do "gostei" e tal manifestação é espontânea. Há críticas no Brasil (aqui) e na semana passada o jornal inglês "The Guardian" publicou reportagem de John Croce (veja)

"Depois da vuvuzela a caxirola (...) se você achou que as vuvuzelas eram ruins, espere até ouvir a caxirola (...) um pedaço de plástico reciclado verde e amarelo - pequeno o suficiente para caber numa das mãos - que parece um pouco com uma pequena granada de mão, mas que produz um inofensivo e não muito alto som de chocalho".


O que sempre marcou nossas arquibancadas foi a batucada. Em vez de lutar junto à FIFA (dona da festa, que é quem pode mandar no espetáculo) para que essas marcas registradas - e espontâneas - se mantivessem, o Brasil investiu nessa coisa chamada "caxirola", que acaba servindo como forma de "protesto" e o povo joga no gramado para o mundo inteiro ver o quanto somos civilizados e estamos preparados para sediar uma Copa do Mundo: "imagina o mico"...


OBS: e olha que nem falei das más condições dos aeroportos, da falta de infraestrutura, dos superfaturamentos nas obras dos estádios, da falta de transporte público adequados, das poucas vagas em hotéis, do caos no trânsito, do "engarrafamento de trios elétricos" etc... kkkkkk

ATUALIZAÇÃO ÀS 19:29 h DE 30/04/13:
Pelo jeito a reportagem da revista Veja leu a postagem acima e escreveu "Caxirola vira mico - e Brown pode perder jogada bilionária"... kkkkkkkkkk

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Movimento recorde nos cartórios eleitorais

O fato de o Jornal Nacional e o Jornal da Globo terem citado que o prazo para quem faltou a três eleições consecutivas regularizar sua situação (as reportagens deram as informações corretas) vai se encerrar hoje, dia 25, aliado ao equivocado comercial sobre o tema provocou uma corrida aos Cartórios Eleitorais no dia de ontem. 

Porém, cerca de 90% das pessoas que lá estiveram não precisavam tê-lo feito, o que expliquei no dia 12 deste mês na postagem "Esclarecimentos sobre o prazo para regularizar o título de eleitor". Em anos anteriores, quando a campanha era feita corretamente, não acontecia tamanha procura.

Hoje a corrida aos cartórios deve continuar. No estado do Rio as Zonas Eleitorais abrem às 11:00 h e fecham às 19:00 (por que as pessoas vão para a fila, no sol, às 8:00 h???? Veja). Em Campos o endereço da Justiça Eleitoral é Av. Alberto Torres, 81, Centro (ao lado da Casa & Vídeo).

Ontem falei à InterTV a respeito, o que pode ser visto aqui.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Prazo para regularizar título termina amanhã


A propaganda na TV está equivocada ao dizer que todo mundo que faltou à última eleição tem até amanhã, 25/04, para regularizar o título de eleitor: o prazo só se refere às pessoas que faltaram a três eleições consecutivas.

Expliquei isso em detalhes há alguns dias na postagem "Esclarecimentos sobre o prazo para regularizar o título de eleitor." Quem tiver alguma dúvida convém ler.

terça-feira, 23 de abril de 2013

A intolerância das falsas tolerantes

A título de protestar contra a "homofobia"(que elas veem em toda e qualquer opinião contrária à delas), veja a agressão que essas débeis mentais do tal "Femen" - sempre elas - praticaram contra um religioso que nada tinha a ver com a "causa" defendida por elas.
Foto: AFP/Reuters
Claro, tudo isso em nome da tolerância... a mesma que elas negam ao arcebispo pelo simples fato de que ele faz parte da Igreja Católica. 

Ele manteve-se impassível diante da agressão, o que fez com que se evidenciasse ainda mais a absurdez do tal "protesto".

A matéria completa está no blog "Page Not Found", aqui.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Eleitorado em Campos: números atualizados

fundo verde: ZE's da sede do Município (chamadas de "Pedra"); fundo amarelo: ZE's do interior (obs: a 129ª abrange também parte de Guarus); vermelho: os melhores números de cada região; vermelho com sublinhado: melhores números entre ZE's; verde com sublinhado: melhores números na comparação cidade/interior; azul: totais. FONTE: TSE.
 
Os números mais recentes do eleitorado em Campos estão acima e foram levantados ontem. Desde o fim do alistamento eleitoral em maio de 2012 (o fechamento dos dados ocorreu em junho: veja) a cidade ganhou menos de mil eleitores, passando de 344.366 para os atuais 345.238, num crescimento dentro dos padrões nacionais.

Convém lembrar que algumas comparações entre Zonas da cidade e do interior têm por base realidades absolutamente distintas e por isso organizei a planilha em dois grandes grupos. É evidente que no interior são necessários mais locais de votação, dada a maior extensão territorial. Também é lógico que na cidade a média de eleitores por local será sempre maior, dada a maior concentração populacional. Números assim não podem ser comparados.

Antes eram 1065 seções à disposição dos eleitores em Campos, número que agora chega a 1.076, podendo variar em 2014 (ex: podem ser abertas novas seções; as que tiverem menos de 50 eleitores serão agregadas a outras). Como o eleitorado cresceu pouco, temos aí um bom sinal, pois há menos eleitores por seção: 321 em média agora, contra 323 em 2012.

A quantidade de locais de votação também aumentou: antes eram 184 e agora são 191: a 75ª ZE (Baixada Campista) tem mais um local e a 98ª (Centro até Nova Brasília) criou outros seis, assunto que abordei aqui em dezembro. Aqui também podem haver variações quando da realização das eleições: muitas vezes o Cartório tem um planejamento mas se percebe que o local - geralmente uma escola - está muito mal conservado ou que não oferece mais condições de bem atender à população e então é necessário fazer alguma modificação pontual. É por tal motivo que é comum que próximo à votação a Justiça coloque na TV anúncios referentes a mudanças de locais de votação: não se trata de falta de planejamento na Zona Eleitoral e sim de falta de manutenção dos locais...

Só posso falar especificamente sobre a 98ª, que chefio desde 2008, quando mais observei do que mudei algo (até o fim do texto falo só da 98ª, ok?)é com felicidade que vemos que a média de eleitores por local caiu ainda mais em nossa área, que continua tendo os melhores números da "Pedra" (repito: não é possível comparar com as ZE's do interior): de 2.389 no ano passado para 1.876 agora. O que se busca é manter a 98ª ZE como sendo aquela onde os eleitores menos enfrentam filas para votar. 

Em 2016 possivelmente serão abertos outros dois outros locais, completando a reestruturação iniciada em 2010, visando os próximos 10 anos (o sistema poderia ter problemas em alguns bairros se não fossem abertos novos locais, porque a organização até então existente tinha sido traçada ainda nos anos 90), aumentando a quantidade de locais de votação de nossa ZE de 20 em 2008 para 30 em 2016 e aproximando ainda mais a Justiça Eleitoral de nosso público-alvo. O que buscamos é que haja sempre gente nossa à disposição do eleitor para que a população abrangida pela 98 se sinta ainda mais prestigiada pela Justiça. 

A quantidade de seções acompanhará a regra acima, passando de 143 em 2008 para 156 em 2012. Da mesma forma o pessoal de supervisão passará de 50 em 2008 a 110 em 2014, sem contar os atuais 624 mesários, claro. 
Qual a utilidade disso? 
Claro: tudo é pensado, nada é feito na base da canetada... como as porcentagens de locais, seções e supervisores aumentarão mais no período citado do que a porcentagem de eleitores, haverá mais comodidade para todos. Além disso, promovendo Presidentes de Seção a Supervisores valorizamos quem está conosco há mais tempo, temos mais gente experiente trabalhando no apoio ao Cartório e abrimos espaço para renovação do quadro de mesários (desde 2010 todos os mesários da 98 são voluntários). Simples assim. 

Não pense o leitor apressado que estou a me gabar ou a criticar qualquer pessoa. Estou apenas mostrando como trabalhamos, porque trata-se de serviço público. Não somos "bonzinhos": recebemos para cumprir nossa obrigação de pensar no que é melhor para o eleitor, no que facilita o cidadão, não no que nos dará menos trabalho (é evidente que a estrutura muito maior que montei dá muito mais trabalho). Repartição pública não é lugar para paletó pendurado em cadeira vazia: é lugar de trabalho. Simples assim!

Leia "Carta aberta aos cidadãos que auxiliaram a eleição na 98ª ZE" e Quem não tem colírio usa óculos escuros - Lei da Ficha Limpa: nos interessa o que não foi impressso").

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Uma cena impressionante

A reportagem da BBC sobre a explosão (que foi ouvida a 70 km de distância) de uma fábrica de fertilizantes no Texas, EUA, pode ser lida aqui.

Em favor da redução da maioridade penal

"A seguir cenas do próximo ENEM:
— Quem matou o paulista Victor Hugo Deppman, de 19 anos?

a) A arma.
b) A pobreza.
c) A falta de escola.
d) A falta de um parquinho com escorrega na periferia.
e) A falta de verbas para o cinema nacional.
f) O capitalismo.
g) Os católicos e evangélicos.
h) A sociedade burguesa.
i) O sistema.
j) O celular de Victor Hugo Deppman.

k) Todas as respostas anteriores."

Leia no site "Mídia Sem Máscara" o excelente artigo "Os Guris do Crime", de Felipe Moura Brasil, referente ao brutal assassinato de um jovem por um "menor" que três dias depois completou 18 anos e vai passar  os próximos três anos rindo da cara de nossa sociedade boazinha.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

O capital de giro do Capital Inicial

Pouca gente sabe, mas os músicos do até hoje famoso (só os bons sobrevivem!) Capital Inicial tinham a pretensão de, após o lançamento do primeiro disco, mudar o nome da banda para "Capital de Giro"... ainda bem que eles não fizeram isso!!! kkkkkkkkk

Foram o talento e a capacidade que eles têm de se reinventar que trouxeram a banda até 2013 fazendo sucesso entre várias gerações e tal é o capital de giro deles. Dia desses coloquei uma música do Capital que meu filho Ayrton - também fã da banda - não conhecia e perguntei se ele tinha gostado da "música nova" dos caras... quando ele respondeu que sim, falei: "é de 1989"...

No vídeo abaixo mostro a música que trouxe o Capital para o cenário nacional no ano de 1986: "Música Urbana":

Por que os cubanistas têm medo de Yoani Sánchez?

Os tais "progressistas" daqui são conservadores quando o assunto é a ditadura cubana. Interessante, não? Provavelmente o sonho deles seja transformar o Brasil numa grande Cuba... kkkkkk
Na verdade eles querem mesmo é impor o pensamento "libertário" a todos: não conseguirão, porque não há mal que nunca se acabe.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Eles que venham: por aqui não passarão!

Fala do pastor Silas Malafaia (destaques meus) em conversa com o jornalista político Reinaldo Azevedo sobre um evento evangélico que ele está organizando em Brasília - e que tem todo o meu apoio, apesar de eu não ser evangélico:

“Nós somos contra a equiparação da união homossexual à heterossexual? Sim! Nós somos a favor do que passaram a chamar de ‘família tradicional’, formado por homem, mulher e filhos? Sim! Certamente, por razões óbvias, essas questões surgirão em nossa manifestação. E temos essas opiniões porque são matéria de CONVICÇÃO, de crença, e porque a Constituição nos assegura o direito de tê-las

Mas o objeto principal do nosso encontro é outro: vamos nos manifestar A FAVOR DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO e contra o controle da mídia, que vem sendo reivindicado por pessoas que odeiam a liberdade. Não aceitamos o controle da mídia nem pelo estado nem por grupos militantes. 

Querem nos transformar, aos evangélicos, em antediluvianos, em reacionários. Errado! Nós somos a modernidade democrática. Nós é que somos por uma sociedade radicalmente democrática, SEM UM ESTADO CENSOR E SEM A CENSURA DE GRUPOS ORGANIZADOS”.

Publiquei um pronunciamento nos jornais em setembro de 2010 me opondo ao controle da mídia. E lá deixei claro que sou favorável à imprensa livre mesmo quando ela me agride. Enquanto vigorar o que eu penso, jornalista jamais será punido por delito de opinião ou correrá o risco de perder o registro profissional por pensar isso ou aquilo. Mas tenho visto por aí muitos FALSOS DEMOCRATAS, maléficos como os falsos profetas, falando em nome da liberdade para poder censurar a opinião alheia. Por cima dos evangélicos, eles não passarão”...

Abaixo temos um vídeo com uma fala sensata de Malafaia em 2011, no Congresso Nacional:


A frase que dá nome a esta postagem foi dita pelo hoje patrono da Artilharia do Exército Brasileiro, Marechal Emílio Mallet, na Batalha do Tuiuti, na segunda metade do século XIX.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Há algo de podre no reino da Venezuela

O candidato "derrotado",
Henrique Capriles (foto AFP/Globo)
Que a múmia Hugo Chávez, seu filhote Nicolás Maduro e os políticos que apoiam o chavismo não valem nada todo mundo já sabe há muito tempo: é a propaganda que sustenta regimes populistas como o da Venezuela, além do apoio de falsas democracias como China, Cuba e Irã (no Brasil também há quem aplauda os calhordas).

Mas vamos pensar um pouco: se naquela que era cantada como a eleição mais ganha de todos os tempos, logo após a morte do ditador mais popular da história do país, com todo o clima de comoção a favor de Nicolás Maduro, inclusive com o uso descarado de todo o aparelho estatal (inclusive eleitoral: algumas seções tinham desenhos de Simón Bolívar, desculpa intelectual para o chavismo), ainda assim a "vitória" do atual presidente foi de apenas 50,66% dos votos, a ponto de até mesmo a massa de manobra chavista ficar surpresa com o resultado, é sinal de que "embaixo desse angu tem caroço". Leia.

Claro que o problema não está no sistema eletrônico de votação usado na Venezuela, embora talvez a solução esteja nos votos impressos que darão margem à possível recontagem: a questão está na falta de lisura da disputa e, claro, na manipulação dos votos, porque máquinas não fraudam eleições por "vontade própria".

E tem gente que reclama da nossa votação...

domingo, 14 de abril de 2013

A porta do inferno

Conheça a incrível "Porta do Inferno", que fica em Darvaza, no Turcomenistão (Ásia). O texto não é meu e sim do blog "Química Descomplicada":
Fotos: site "Você Realmente Sabia?"

"Não se trata de um vulcão, mas, sim, de uma mina, aliás, um projeto de mina. É o resultado de uma perfuração de gás iniciada há 38 anos atrás: geólogos soviéticos efetuaram estudos de viabilidade para a extração de gás natural no lugar. E eles efetivamente encontraram o que estavam procurando. 
Durante as escavações, porém, foi descoberta uma caverna subterrânea de grande profundidade, repleta de um gás venenoso. Por causa dessa substância, as perfurações foram suspensas e alguém teve a brilhante idéia de "acender um pequeno fósforo" na boca da cavidade, a fim de que o conteúdo tóxico fosse consumido pelo processo de combustão (eles também receavam que o gás escapasse do imenso buraco, trazendo consequências maléficas para a população)
Resultado desse ato "brilhante": o fogo, nesses 38 anos, jamais se extinguiu, e a cratera continua flamejante até hoje. Não há nenhuma previsão de quando as labaredas vão finalmente cessar, já que ninguém tem noção da quantidade de gás que ainda existe nas profundezas daquele caloroso 'inferno'."

sábado, 13 de abril de 2013

As cartas que eu não mando

De uns tempos para cá passei a, estranhamente, receber e-mails enviados por mim mesmo... evidentemente trata-se de algum vírus. Já tive esse problema há alguns anos e na época tive que abrir uma nova conta de e-mail, o que espero não ser necessário fazer novamente (até porque a atual já usa meu nome todo).


Assim sendo, peço desculpas antecipadas a quem eventualmente possa receber e-mails meus com mensagens que eu não mando, como a mostrada abaixo (quase tive vontade de clicar para ver quanto eu depositei na minha conta e avisei a mim mesmo... kkkkkk):


O título da postagem é o nome de uma canção gravada por Leoni
em 2002 no disco "Você Sabe o Que Eu Quero Dizer".

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Esclarecimentos sobre o prazo para regularizar o título de eleitor


OBS: quem está procurando informações sobre regularização do título de eleitor em 2017 deve ler a postagem "Prazo para regularizar o título de eleitor em 2017: 05 de maio".

Muitas pessoas têm buscado os Cartórios Eleitorais para regularizar a situação junto à Justiça Eleitoral, preocupadas com o prazo que se encerrará no dia 25 deste mês. 80% delas não precisariam se preocupar: no decorrer da postagem direi o porquê.

Os cidadãos têm feito isso por causa do comercial que está sendo veiculado nas emissoras de TV desde o começo deste mês, que pode ser visto aqui (não é possível incorporar o vídeo ao blog). Da mesma forma há um cartaz a respeito, como se vê ao lado.

Ocorre que a campanha está errada. Não é verdade que "quem não pôde votar e não justificou é hora de ficar em dia com a Justiça Eleitoral" e tem que regularizar a situação até 25 de abril: quem se encontrar nessa situação poderá fazê-lo tranquilamente depois dessa data. 

O prazo é para quem faltou a TRÊS VOTAÇÕES CONSECUTIVAS, não justificou no dia (nas próprias seções eleitorais), não justificou no prazo de 60 dias (através de requerimento ao Juiz Eleitoral) e não pagou as respectivas multas e em razão disso corre o risco de ter o título cancelado exatamente se não regularizar a situação até 25 de abril. A regra sobre o assunto está § 3º do artigo 7º do Código Eleitoral e foi regulamentada pelo § 6º do artigo 80 da Resolução 21.538/03-TSE (destaquei):

Art. 80. O eleitor que deixar de votar e não se justificar perante o juiz eleitoral até 60 dias após a realização da eleição incorrerá em multa (...).
..........
§ 6º Será cancelada a inscrição do eleitor que se abstiver de votar em TRÊS ELEIÇÕES CONSECUTIVAS, salvo se houver apresentado justificativa para a falta ou efetuado o pagamento de multa, ficando excluídos do cancelamento os eleitores que, por prerrogativa constitucional, não estejam obrigados ao exercício do voto.

Curioso: no fim do ano passado foi divulgada a informação correta na página do TSE no Youtube, o mesmo ocorrendo em fevereiro deste ano no site do TSE e no YoutubeVeja abaixo que antes foi dito o certo (em vermelho) e agora está errado (em azul). Comento em cinza:

"Os eleitores que não votaram e nem justificaram a ausência nas três últimas eleições têm até 25 de abril do próximo ano para regularizar a situação junto a qualquer cartório eleitoral".

"1.512.884 eleitores brasileiros que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições podem ter o seu título cancelado. Para regularizar a situação, esses eleitores devem comparecer ao cartório eleitoral no período de 25 de fevereiro a 25 de abril".

"Os eleitores que não votaram nem justificaram a ausência nas [sic]  urnas, deve [sic] regularizar a situação até o dia 25 de abril."  
OBS: o correto seria dizer "justificaram a ausência às urnas", porque ninguém justifica nas urnas (tem tecla "justificar" lá?).

O que a pessoa tem que fazer é pegar o boleto para pagar as multas no Banco do Brasil (R$ 3,51 por cada ausência  repito: o dinheiro vai para os partidos!) e depois levar o comprovante de volta ao Cartório Eleitoral, para que tal informação seja inserida no sistema, evitando o cancelamento

Lembro que embora muitas pessoas achem que se trata disso, não é o caso de se falar mais em "justificar a ausência(fiz uma postagem a respeito em outubro: leia) porque tal prazo encerrou-se em dezembro passado (exceção: quem estava no exterior no dia da eleição e retornou ao Brasil há menos de trinta dias)Da mesma forma, diferente do que diz o comercial, também não é necessário levar o título de eleitor. Se tal documento não é exigido na hora da votação, porque o seria para a simples regularização? 

A atual campanha não explica, mas não é obrigatório que o eleitor compareça pessoalmente: em muitos casos uma só pessoa pega todos os boletos de sua família (inclusive de quem vota em outras cidades), leva ao banco, paga e apresenta novamente ao Cartório, o que é absolutamente normal. 

Como os conceitos de "quitação" e "regularidade" são diferentes, a propaganda está certa quando afirma que quem não tiver votado não estará quite com a Justiça Eleitoral – e consequentemente não conseguirá a certidão que comprove tal situação, ficando assim impedido de obter passaporte, tomar posse em cargo público etc  mas erra ao passar a impressão de que, no tocante à possibilidade de votar, os títulos dessas pessoas não estarão mais regulares, porque estarão: mesmo que o cidadão tenha faltado a dez ou mais votações não consecutivas seu título continuará regular e não será cancelado e, a não ser que queira ficar quite, não precisa se preocupar com o prazo de 25 de abril...

Em suma: só tem que "correr" ao Cartório Eleitoral quem faltou a três eleições CONSECUTIVAS, não apenas à de 2012, principalmente em se tratando de cidades onde houve apenas um turno, como Campos. 

terça-feira, 9 de abril de 2013

Cheios de certezas e vivendo de ilusão

Em 1985 o grupo Tokyo, liderado pelo figuraça Supla, reclamava que a ditadura fazia com que todos nós fôssemos iguais.
O tempo passou e hoje em dia há no Brasil uma febre que confunde igualdade e mediocridade: a título de buscar a liberdade muitas pessoas querem enclausurar as demais num padrão de comportamento politicamente correto e isso é irritante, porque ninguém é igual a ninguém (só o respeito às diferenças é que deve ser igual).
Com o vídeo abaixo, quem era jovem nos anos 80 pode lembrar e quem é jovem hoje em dia pode fazer de conta que se trata de uma nova banda no mercado: em qualquer caso é possível perceber que passaram-se 28 anos, mas a letra continua atual:



Esses humanos que circulam / Pela cidade aí afora
Eu não aguento... / Eles querem me conquistar
Eu não aguento... / Eles querem me controlar!
Querem me obrigar / A ser do jeito que eles são
Cheios de certezas / E vivendo de ilusão

Mas eu não sou / Nem quero ser / Igual a quem me diz
Que sendo igual / Eu posso ser feliz

sexta-feira, 5 de abril de 2013

O maltrapilho, a velha e o vesgo

Leia aqui que o Presidente do Uruguai, Jose Mujica  aquele velhinho maltrapilho querido pelos politicamente corretos por ser ex-guerrilheiro  disse a respeito da Presidente argentina Crisina Kirchner, a tirana eleita, que "a velha é pior do que o vesgo... o vesgo era mais político: ela é teimosa!" (referindo-se ao ex-presidente Nestor Kirchner). E disse a verdade!!!

Que pena: agora os "progressistas" não terão como inventar que ele é "conservador"... 

Como jogar nas costas de um "cumpanhero" as toneladas que eles costumam jogar sobre quem discorda deles????

Como defenderão sua musa que odeia a liberdade? 

Como dizer que Mujica "ofendeu" os idosos e as pessoas que têm estrabismo??? 

Kkkkkkkkkkkkkk

terça-feira, 2 de abril de 2013

Patrulha ideológica


Para os bocós politicamente corretos (seria isso uma redundância??? kkkk) que ficam patrulhando o que escrevo aqui no blog: ninguém vai pautar o que escrevo, ok?

Escrevo o que bem entender e publico os comentários que eu quiser: normalmente publico qualquer coisa que não seja diretamente ofensiva a terceiros, por motivos óbvios. Se for opinião eu publico, por mais que eu a ache idiota. Isso não quer dizer que eu concorde, apenas que respeito a opinião dos outros.

Quem não gostar basta não ler: não obrigo ninguém a acessar o blog e não preparo textos de olho no contador de visitas e sim quando me dá na telha. 

Repito: que ninguém tenha a vã ilusão de que patrulhando o que escrevo vá pautar o que escreverei, muito menos personagens anônimos que ficam ofendendo e fazendo ameaças.